Instalação “Facto”, de MDC, no Espaço Repercussivo subverte olhar comum e aproxima arte do cotidiano
Um artista pop que tenta popularizar o acesso à arte e o conceito das pessoas sobre as diferentes manifestações artísticas. Assim pode ser definido o desempenho do artista plástico Marcos Dias Corrêa a cada novo trabalho. Em especial na empreitada da sua vida: o Espaço Repercussivo, espaco pensado conceitualmente como obra de arte, cujo tema é o lugar da Arte perante mercado e publico. Com a pegada pop e o estilo Do-It-Yourself (DIY) característicos de suas peças, o carioca Marcos Dias Corrêa escolheu o Porto da Barra para lançar o Espaço MDC com entrada franca.
Para o artista, trabalhar sem intermediários intelectuais, críticos e comerciais é uma necessidade. “O mundo da arte é saturado dessa gente e se torna nauseante. Feiras de arte são confusas, são desfiles, ‘supermercadões’ sempre com as mesmas pessoas”, justifica Marcos. De acordo com ele, o Espaço MDC chega ao Porto da Barra como um lugar estrategicamente escolhido. “É bem em frente à peixaria que eu vou ‘vender meu peixe’, e o dos meus amigos também. Isso sim é que é projeto de verão”, anima-se Marcos com as possibilidades trazidas, em simultâneo, para o público e os artistas que querem e merecem ter um local apropriado para expor suas criações.

 Nascido no Rio de Janeiro em 1976, MDC é formado em Design pela UniverCidade e em Belas Artes pela Parsons School of Design-NY (1999-2002) − Associate Degree −, além de ter estudado com vários professores no Parque Lage. Os trabalhos de Marcos Dias Corrêa investigam a relação entre cultura audiovisual, consumo e política. E ainda analisam os modos de fabricação e percepção das imagens fazendo alusões tanto à propaganda como às diferentes escolas e estilos da História da Arte. De 2004 a 2013, o artista se revezou em 23 exposições, sendo a maioria delas individuais.

 Quem for ao Espaço MDC pode esperar pelas constantes novidades que o inquieto Marcos Dias Corrêa faz questão de experimentar em sua obra. Seja através de materiais ligados tradicionalmente ao mundo da arte (pintura a óleo, esculturas e desenhos acadêmicos) ou com materiais ligados ao “chão do mundo”. Em suas próprias palavras, os materiais encontrados aqui e ali. Em qualquer meio, o artista explica que a aposta é sempre buscar a subversão quanto ao hábito de ver e de estar no mundo.

A música é uma das artes que mais influencia o trabalho do artista. MDC é um dos fundadores do coletivo de performance artístico-musical Shibatonics. O grupo possui mais de uma dezena de componentes que, conforme destaca Marcos, são seus “artistas-amigos-parceiros-pra-toda-obra e uma geração que vêm desconstruindo a ideia de distância entre o mundo das artes e a vida do cidadão comum”.

A assinatura dos Shibatonics, da qual Marcos e um dos integrantes, também circula em telas, peças, instalações e manifestações artísticas que ultrapassam os limites da Cidade Maravilhosa. Para além dos trabalhos realizados para Farm, Redley, Cidade das Artes, galeria Colecao de Arte e Babilônia Feira Hype no Rio, O Shiba também marca presença em Saquarema, Araras, Bahia e no Centro de Arte Contemporânea Inhotim − localizado em Brumadinho (MG), em plena Mata Atlântica, e apontado como o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. Agora é a vez de Armação dos Búzios poder contar com o estilo inventivo de Marcos Dias Corrêa, do coletivo Shibatonics e seu Espaço Repercussivo.

Serviço:
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 12h e das 14h às 21h.
Possíveis alterações de horários, devido a eventos e outros, serão informadas na vitrine do espaço e no link: www.marcosdiascorrea.com.br/buzios.
Contato:
Marcos Felipe Dias Corrêa
Tel: (21) 9984.4824
Share →